O presidente da Associação dos Municípios do Litoral Norte (Amlinorte) e prefeito de Imbé, Pierre Emerim, esteve reunido por videoconferência com o governador do Estado Eduardo Leite. Em pauta diversos assuntos de interesse da região, mas principalmente a colocação do Litoral Norte como bandeira vermelha no distanciamento controlado instituído pelo Governo do Estado e possíveis saídas para que a região retorne a bandeira laranja ou amarela. Também participaram o vice-governador Ranolfo Vieira e o presidente do Consórcio de Saúde da Região e prefeito de Xangri-Lá, Cilon Rodrigues.

A sazonalidade, ou seja, por ter um público flutuante, a região, na visão da entidade, é classificada de forma errada. São contabilizados 397 mil habitantes nas 23 cidades, mas os números, contestados pela Amlinorte são maiores. “Isso reflete no Fundo de Participação dos Municípios e em outros tantos recursos que possam ser recebidos”, destacou Pierre, lembrando que a esperança era o censo 2020, que foi cancelado devido a pandemia do novo coronavírus.

 Pierre apresentou dados, como consumo de energia elétrica das cidades, geração de lixo a aplicação de vacinas. “Somente nos idosos, a cobertura vacinal total foi de 150%. Tivemos um aumento de 25% no consumo de energia elétrica neste mês, em comparação ao mesmo período do ano passado. Antes mesmo da pandemia já apresentávamos uma população altíssima”, destacou Pierre, ressaltando ainda dados de geração e recolhimento de lixo, que também estão acima da média.

O presidente também lembrou o baixo número de leitos em UTIs na região destinadas a Covid-19: 3,25 unidades para cada 100 mil habitantes. Ele comparou os números com outras regiões do Estado. “Na região de Santa Maria são 11,47 leitos, no Sul são 15 e, no Norte, 12 leitos para cada 100 mil habitantes”, destacou.

 Diante as colocações encaminhadas pelo presidente da Amlinorte, o governador solicitou que fossem encaminhados os dados levantados pela entidade que comprovam o aumento da população no Litoral Norte, o que poderá servir de base para a destinação de novos leitos para o litoral e aplicação das bandeiras. Também ficou resolvido que serão liberados imediatamente cinco respiradores para os hospitais do litoral, com condições técnicas de instalação e de recursos humanos para atender essa demanda. “Saímos satisfeitos e vamos aguardar, na prática, um resultado efetivo”, finalizou Pierre.

Deixe seu Comentário