Rádio Tupancy 87,5 FM

5136873240

Opinião

UM MODELO COLETIVO DE LIDERANÇA' É O ASSUNTO EM DESTAQUE NO TEXTO DA TERÇA DESSA SEMANA!

Troque a idéia do líder supremo pela da equipe de liderança, que inclui líderes dos diversos grupos e forma líderes para o futuro

UM MODELO COLETIVO DE LIDERANÇA' É O ASSUNTO EM DESTAQUE NO TEXTO DA TERÇA DESSA SEMANA!
Foto: Arquivo Pessoal
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando
Um modelo coletivo de liderança
(* John Davis - HSM Management)

O que é um líder competente? É o que garante a governança, a liderança e a gestão adequadas para sua organização. Em uma empresa familiar, sobretudo, necessita-se de lideranças competentes em todos os grupos - não só nos negócios, mas na família e entre os proprietários - e essa é a chave para a aquisição de benefícios de longo prazo.

Pense com cuidado nisso e você saberá avaliar o que os líderes de uma empresa familiar devem fazer para ser competentes. Quero destacar, contudo, uma iniciativa que eles precisam tomar, talvez a mais importante de todas: construir uma equipe de liderança. Não acha? Recue e examine o passado. Tire uma grande fotografia. Será que você vê o que eu vejo? Existem muitas necessidades básicas em empresas familiares, mas, na maioria delas, há um único e supremo líder, que se sobrepõe a todos.

Nas organizações jovens e mais simples (na fase inicial de sua fundação), o líder supremo geralmente é o fundador - proprietário que detém o controle da empresa, tem significativa influência e constitui a principal fonte de governança, liderança e gestão.

Em famílias maiores e empresas familiares mais complexas, o líder supremo atua mais em conjunto com os outros, no modelo de conselho de família. Alguns, porém, ainda querem prevalecer. A figura suprema é um erro, no entanto. Líderes competentes, qualquer que seja o tipo de empresa familiar, trabalham mais como técnicos de um time esportivo. Um líder desse tipo atende às necessidades da organização com recursos próprios e com a ajuda de uma equipe de liderança.

Em qualquer situação, líderes que não formam futuros líderes conduzem a empresa familiar para o declínio. Grandes líderes de companhias familiares apoiam e preparam outros para a sucessão. Existindo dois ou mais líderes no grupo, o fundamental é haver um sólido alinhamento entre eles. Você precisa ser capaz de minimizar rivalidades e discordâncias. Se o líder dos negócios, o dos proprietários e o da família não estiverem alinhados em termos de direcionamento e políticas, a base da empresa familiar será instável e fraca.

Quando o poder é distribuído de modo que impede resoluções claras em situações de conflito e os mecanismos de governança não são adequados para chegar a uma solução, é necessária ajuda externa para restaurar o alinhamento.

Não perca a disciplina na tomada de decisões em situações de competição entre líderes de qualquer um dos grupos da organização. Reconheça que a maioria deles, principalmente nas empresas familiares mais complexas, precisa de liderança. Em casos assim, estabeleça limites para que os líderes individuais saibam até onde vai sua autoridade.

Um caso real no Brasil

Muitas empresas familiares ainda confiam demais na liderança de uma só pessoa -geralmente o CEO - para cuidar dos negócios, dos proprietários e da família; na Itália, por exemplo, essa prática é a mais comum e percebo que sua popularidade se estende a vários outros países.

Ocorre que, um dia, as necessidades dos negócios, dos proprietários e da família tornam-se demasiadamente grandes e divergentes para uma só pessoa atender a elas de maneira adequada. É por isso que o modelo coletivo de liderança sempre funciona melhor. Ele pode variar: algumas empresas familiares têm um líder do grupo de negócios, um de família e um de proprietários; outras, um líder do grupo de negócios que também lidera o de proprietários e um para a família.

No Brasil, já há empresas nesse caminho, entre elas a RBS, da família Sirotsky. Na recente transição de liderança ali, decidiu-se que um novo modelo para a empresa surgirá ao longo do tempo. Os Sirotsky são bons para discutir as coisas quanto tempo for preciso - até que esse novo modelo coletivo esteja realmente claro.

ATIVIDADES ORGANIZACIONIAS

GOVERNANÇA

• Proprietários:
- Estabelecer a missão e os principais valores do grupo;
- Garantir a estabilidade por meio de planejamento, políticas, acordos e fóruns de discussão conclusivos;
- Escolher líderes eficientes.

• Negócios:
- Criar, participar e apoiar um conselho eficiente, alinhado ao desenvolvimento de metas, planos, políticas e acordos;
- Garantir a escolha dos melhores líderes de negócios para a empresa.

• Família:
- Criar, participar e apoiar um conselho de família eficiente para desenvolver planos, políticas, acordos e programas adequados.
- Selecionar um líder eficiente (ou líderes) do conselho de família.

LIDERANÇA

 Proprietários:
- Criar, participar e apoiar um conselho de família eficiente para desenvolver planos, políticas, acordos e programas adequados;
- Selecionar um líder eficiente (ou líderes) do conselho de família.

• Negócios:
- Definir a direção da empresa;
- Desenvolver planejamento estratégico;
- Garantir que os valores fundamentais sejam seguidos;
- Tomar decisões que não podem ser delegadas;
- Incentivar mudanças necessárias.

• Família:
- Definir visão, direção e objetivos para a família;
- Garantir que os valores fundamentais sejam seguidos e a unidade familiar saia fortalecida;
- Tomar decisões familiares que não podem ser delegadas.

GESTÃO

• Proprietários:
- Garantir eficiência e eficácia operacional por meio de planejamento, recursos humanos, organização, direção, controle e solução de problemas.

• Negócios:
- Garantir gestão eficiente dos negócios.

• Família:
- Garantir gestão eficiente do conselho e dos negócios da família.

(*) John Davis, fundador e diretor da consultoria Cambridge Advisors to Family Enterprise e professor da Harvard Business School, é colunista fixo de HSM MANAGEMENT.

MÁRIO HEINEN é Psicólogo, Pós-graduado em Administração de RH, Dinâmica de Grupo, e em Gestão da Qualidade para o Meio Ambiente. Consultor de pessoas e de organizações em Desenvolvimento Humano & Organizacional: Gestão e Liderança de Pessoas/RH, Pesquisa/Diagnóstico de Clima Organizacional e de Comunicação Interna, T&D, Planejamento Estratégico, Excelência em Serviços e no Atendimento ao Cliente, 'Eco Training', 'Coaching'; Palestrante, Instrutor de Treinamentos e Educador Experiencial. Ex-professor da UFRGS (Escola de Administração), da ULBRA (Psicologia), e ex-Diretor da FAJERS. Sócio Diretor da HEINEN - Parceria em Recursos Humanos. Psicoterapeuta, Cozinheiro, e Embaixador da Jr. Achievement/RS.

Comentários:

Envie sua mensagem, estaremos respondendo assim que possível ; )